Há muita conversa fiada, diz vereador suspeito de ligação com PCC

Em discurso na Câmara de SP, Senival Moura (PT) afirmou que faltam provas no caso



Investigado pela Polícia Civil por uma suposta ligação com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), o vereador paulistano Senival Moura (PT) disse nesta terça-feira (14) que "há muita conversa fiada" no caso, mas que faltam provas contra ele.


Em seu primeiro discurso sobre o tema na Câmara Municipal de São Paulo, ele não deu detalhes do caso. Líder do PT na Casa, o vereador afirmou que desde fevereiro de 2020 não faz mais parte do quadro de sócios da Transunião, empresa de ônibus que está sendo investigada.


De acordo com a Polícia Civil, integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) detêm de 30% a 40% da frota da companhia. Moura é um dos fundadores da Transunião e, segundo a investigação, dono de pelo menos 13 ônibus da empresa.